book review #4: José Saramago ‘Homem Duplicado’

Era uma vez um homem e outro homem iguais

homem-duplicado

A ideia de Doppelgänger (Duplo) tem sido trabalhada de forma recorrente na História da Literatura, sendo bons exemplos disso as obras «A Comédia dos Erros», de William Shakespeare, «O Retrato de Dorian Gray», de Oscar Wilde, ou «O Estranho Caso do Dr. Jeckyll e do Sr. Hyde», de Robert Louis Stevenson.
Em «O Homem Duplicado», José Saramago dá-nos a conhecer a estória de Tertuliano Máximo Afonso, um professor de História do ensino secundário que se descobre como réplica de uma personagem cinematográfica, depois de ver um filme recomendado pelo professor de Matemática da sua escola.
Nesta obra de 2002 do Nobel português, o leitor tem oportunidade de seguir os passos de Tertuliano Máximo Afonso para descobrir a identidade deste ‘duplo’, objectivo também ele próprio dotado de duplo significado: se por um lado se constitui como um problema de difícil resolução; por outro, materializa-se na cura para a depressão que o vinha a afligir desde que se separara da mulher.
Saramago volta a mostrar todo o seu engenho e imaginação nesta obra: com facilidade, constrói uma trama filosófica, onde a questão do ser é esmiuçada de forma inteligente e concomitantemente cómica.
No decorrer de «O Homem Duplicado», há que destacar o constante debate interior de Tertuliano Máximo Afonso, variadas vezes materializado em agradáveis trocas de argumentos com o Senso Comum.
Senso Comum em letra grande porque neste romance o escritor da Azinhaga, no Ribatejo, consegue a proeza de o estabelecer como personagem, alguém que não se coibe de criticar e dar as suas opiniões, contribuindo de forma determinante para o avanço da estória.
Não se constituindo como um dos principais pilares da bibliografia de Saramago, «O Homem Duplicado» é uma obra que se distingue por fazer o próprio leitor questionar-se e confirma o cepticismo do autor face a um mundo cada vez mais globalizado.
A este nível, o professor Saramago volta a dar uma lição: numa sociedade que caminha para o individualismo ao mesmo tempo que estabelece padrões de conduta e aparências, como pode uma pessoa conservar a sua identidade?

Pontuação final: 4-
1 [a evitar] | 2 [fraco] | 3 [suficiente] | 4 [bom] | 5 [obra-prima]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s