#112

A criada trouxe um candeeiro de petróleo aceso, dando as boas noites em voz alta. Depois saiu. A senhora ficou a olhar para ela com um sorriso bom: – Não consigo tirar-lhe o hábito um pouco provinciano de dar as boas noites sempre que traz o candeeiro. De resto é um costume que não me desagrada. A Joana é muito boa rapariga. Muito ingénua. É estranho encontrar-se neste tempo uma pessoa ingénua. Até dá vontade de curá-la de uma doença tão adorável. Quando lhe conto qualquer coisa dos costumes modernos, fica com os olhos muito arregalados. – Riu-se com gosto. Imitiva a pessoa de quem falava, arregalando também os seus olhinhos pequenos e bondosos; parecia estudá-la para a poder apreciar melhor.

Italo Svevo, ‘Senilidade’

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s