#377

E é de repouso, antes de continuar a percorrê-la [à cidade de Barichara, na Colômbia], que sinto urgência, rumando à Calle 8 para um almoço no Color de Hormiga, disposto a provar uma especialidade cuja tradição remonta a mais de 500 anos, quando o povo indígena guane, convicto do seu poder afrodisíaco e das suas propriedades curativas, devorava formigas gigantes. E, embora pouco crente nestes poderes, dou-me por muito satisfeito quando o meu filet mignon chega à mesa, decorado, por cima de um molho, com um bom número de formigas estaladiças que acompanho com um copo de vinho enquanto perscruto as reacções dos poucos clientes que me acompanham, a curta distância, nesta iguaria gastronómica.

Sousa Ribeiro, fugas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s