#531

‘Camões deixou a namorada afogar-se, mas conseguiu salvar Os Lusíadas. Um poeta russo nunca faria isso. Largava o manuscrito, escrevia-o melhor e salvava a namorada’, diz Olga Kazmina, 57 anos, russa e residente em Portugal há 20 anos. […] [Sobre a situação na Ucrânia], os russos dizem que se trata de desinformação. Falam de russofobia por parte da Europa e dos EUA. ‘Há uma clara distorção de informação’, observa Ekaterina Malginova, estudante de 23 anos. ‘Ao mudar de canal de televisão muda-se o discurso e altera-se a linguagem. Não se sabe em quem acreditar’. […] Perdido no meio da batalha pela informação está também Evgueni Zhidkov, 21 anos. ‘Cá na Europa é tudo americanizado, nos canais russos também mentem muito, ou seja, não há em quem acreditar’. […] Alice Coelho viu nas consequências das sanções uma oportunidade, quando as acções de algumas empresas russas caíram e cerca de 30% foi recuperado por capitais russos. ‘A Rússia está interessada em criar a sua própria economia, fazer um banco que funcione apenas em rublos’, afirma. E não tem dúvidas: ‘A Rússia não vai perder, se se separar da economia global; a economia global é que vai perder, se se separar da economia russa’. […] ‘Sabe qual foi a estratégia de Putin para retirar do poder os criminosos?’, questiona Olga, explicando que por criminosos quer dizer oligarcas. E segue para a explicação: ‘Cada candidato para os órgãos de poder local devia ser aprovado pelas organizações sem fins lucrativos, que é o povo, por isso só passavam as pessoas com quem o povo simpatizava’.

João Ruela Ribeiro, jornal Público

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s