#585

O leitor lê o que quer, lê ao contrário até, e é sempre o último a escrever. Ama e zanga-se, com sentido de posse, porque, mesmo que não o conheça de carne e osso, o autor é seu. O autor sabe disso porque também é leitor: sabe que o leitor tem na cabeça um autor que só existe na cabeça dele. Então o leitor quer dar-lhe coisas, segredos mesmo. Recebi cartas de leitores que talvez mais ninguém pudesse ler. A bondade dos estranhos coexista com a violência dos estranhos, que coexiste com a intimidade dos estranhos. É assim. Há coisas radicais que só acontecem entre quem não se conhece.

Alexandra Lucas Coelho, revista P2

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s