#784

O metro da minha cidade [Nova Iorque] é grande e barulhento e funciona noite e dia. As estações são sujas e os ratos fazem-nos companhia. Mas há músicos e poetas, e gente que sorri. Há pessoas a dançar, e outras a oferecerem-se para guiar a minha conversão a qualquer religião inimaginável. Há poesia em cartazes. Há constantes alterações ao serviço regular, e os serviços autifalados são inncompreensíveis. Talvez afinal este metro hoje vá para outro lado.

Marta Cabral, fugas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s