#1120

Cresci num mundo em que as abelhas são muito importantes.

Alice Rohrwacher, cineasta, Ipsilon

[Alberto] Manguel conta que um apicultor basco, que com as pessoas falava um castelhano agressivo falava um basco doce com as abelhas. Ele conta que, quando morre um apicultor, é necessário outra pessoa ir às colmeias dizer que o apicultor não vai voltar. Isto é bom. Mas logo a seguir ele confidencia que também gostaria que alguém fosse dizer aos livros da biblioteca dele que ele, Alberto Manguel, nunca mais vai voltar. […] As abelhas sabem o que os livros não podem saber. […] Não é preciso avisar os livros. Os livros não são nada como as abelhas.

Miguel Esteves Cardoso, jornal Público

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s