shortcut #33: do maestro

tenho dificuldades em articular palavras enquanto caminho. tal anomalia revelou.se em dia que escuso precisar, na aurora do mesmo, permitam.me ser totalmente preciso. no interior do meu cérebro principiou o ressoar de um ruído, qual novo recreio acústico. de início latejante, ora aqui, ora acolá (como um párabrisas), o obstinado ruído despertou.me. cedi então à sua insistência, contrariando a horizontalidade do deitar com a verticalidade do sentar. – um destes dias comprometo.me a descrever a influência das diferentes geometrias angulares no comportamento do homo.erectus –. com o espaçamento entre latejos a redundar num estrépito uno, constante, guiei.me indefeso até ao espelho de corpo inteiro. confesso, é pouco romântico vislumbrar a nossa cabeça quando não se dispõe de um bisturi ou de uma calculadora científica. do estúdio trigonométrico, o ruído zombava incessante, tão profundo quanto imparável. deitei.me e sem dormir levantei.me. sentado, tornei à horizontalidade, posição fetal.letal. os minutos seguiram.se uniformes. as horas, compassadas como clones. e a harmonia prosseguiu rumorosa, florescente. esgotado, resvalei à loucura. funil inverso da multiplicação. – um destes dias comprometo.me a descrever a influência da multiplicação na criação de números inversos –. abalei a cabeça. comedi os ouvidos. treinei o pino. cabelos da gravidade. o resultado, negativo: debilitado pelo ruído, arrastei.me incontestavelmente limitado até à rua. caminhei na direcção do hospital. aos soluços. aos tropeços. estonteado. ao cabo de poucos passos, inútil esforço, caí desamparado no pavimento. corpo mergulhado em pedras da calçada. desmaio de cinema, inconsciente descanso. de acordo com os registos, fui transportado às urgências. adormecido, tornei estremunhado. boca seca, dor de cabeça. ressacado. comunicar resulta hoje numa faculdade obsoleta: palavrear consigo.o somente enquanto sentado, com o eixo do corpo a perfazer um ângulo de 90º. ademais, acho.me surdo. recreio insonoro. em silêncio, ocupo os dias a orquestrar uma qualquer língua gestual.

duty of response

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s