#1380

Em casa dos Canetti, o búlgaro era apenas falado entre as criadas de servir arregimentadas nas aldeias distantes. Nessa cidade natal de Elias Canetti, um desses lugares de encontros comerciais, culturais e linguísticos, podiam ouvir-se num só dia sete ou oito línguas diferentes. Lá viviam turcos, gregos, albaneses, arménios, ciganos, romenos e também alguns russos. […] Mas foi em búlgaro que [Elias] Canetti ouviu as primeiras histórias, cercado pelas raparigas da casa que, quando escurecia, se anichavam nos sofás junto das janelas e começavam a contar histórias de lobisomens e de fantasmas, cada uma mais horripilante do que a outra. O pequeno Elias ficava encolhido entre as criadas, a ouvi-las, até que os pais voltassem a casa.

jornal Público

duty of response

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s