#1550

A partir do momento em que o emprego se tornou uma espécie de religião, a religião do trabalho, nunca mais nos conseguimos libertar. Continuamos a usar a expressão ‘pessoa trabalhadora’ no bom sentido… A minha avó perguntava sempre sobre as minhas namoradas se elas eram ‘trabalhadeiras’, como um valor por si. Mas historicamente nunca foi. Na Grécia antiga, o trabalho era para os escravos, o homem livre era o que não trabalhava. O trabalho era uma coisa muito mal-vista. A modernidade prometeu-nos que, em vez de escravos, teríamos máquinas que nos libertavam do trabalho… houve uma mudança essencial na história da humanidade com a passagem do nomadismo à sedentarização. Ser sedentário obriga ao trabalho alienado, como dizia Marx, e o nomadismo não. Não há conceito de ‘trabalho’ na sociedade nómada. A vida sedentária é uma vida de crise permanente. A partir do momento em que temos um território, exaurimos esse território, foi sempre assim. Agora é com o planeta todo.

Afonso Cruz, revista Visão

duty of response

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s