#1592

A zona mais antiga da capital [do Montenegro, Podgorica] é Dra, mas, fora a torre do relógio e a mesquita, as casas são dos anos 80. O mais antigo, mesmo, são as romãzeiras e as pessoas, chupadas pelos cigarros e pelas noites de rakija. […] Segundo a Organização Mundial de Saúde, Montenegro é o país em que mais se fuma no mundo. É esta a nuvem, num dia de 28ºC, que vemos no ar, ao cruzar o rio Moraca. […] Nuvens de fumo. No Promaja, todos sublinham que, se o objectivo é conhecer o Montenegro, Podgorica é uma perda de tempo. ‘Não há muito para ver’, avisam. Mas é importante vir até aqui para perceber como se arquitecta o país que é há onze anos independente. […] Ao quarto dia no Montenegro, estamos fartos de tanta beleza. […] No quadro selvagem, tudo é perfeito: a estrada que perfura os fiordes, o rio Tara azul como um topázio, as vinhas, as montanhas feitas num terraço gigante sobre o Adriático, os que passam as tardes a soprar fumo nas kafanas (os cafés locais), as romãs, as mariscadas e os presuntos, a solidão dos mosteiros, as cabras montesas.

Rute Barbedo, fugas

duty of response

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s