#1694

Para além dos homens-estátua, há quanto tempo não vê um ‘local’ na Rua Augusta? Na Baixa, já temos a Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau, que vende pastéis de bacalhau com queijo da Serra ‘desde 1904’ (mas chegou em 2015), as enguias de escabeche ‘desde 1942’ (chegaram em 2016), uma loja-irmã acaba de inaugurar na Rua da Prata, para não falar d’O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa, no Rossio. Na Rua Augusta, os empregados não falam português, such a silly detail, e todos encontraram um bonito verso de Fernando Pessoa para dar aos clientes uma ‘experiência cultural.’

[…]

Para quê manter a farmácia Andrade, que está lá há mais de 180 anos e bem podia dar lugar a uma Zara ou um hotel? E se em vez da Brasileira houvesse mais uma loja de enguias em lata? E se em vez da Bertrand houvesse outra Zara? E se em vez da Casa Pereira houvesse outro hotel? E se em vez da Paris em Lisboa houvesse outra Zara? E se em vez da florista Pequeno Jardim houvesse outra Zara? A Havaneza podia ser uma Zara Kids e a André Ópticas, bom, vendo bem outra Zara não ficava mal. […] A própria Ferin dá uma boa Zara com o seu tecto em arcos e a Casa das Velas do Loreto, ali desde 1789, dava uma bela Zara Home. Qual é o medo de ter tantas Zaras num pequeno bairro?

Bárbara Reis, jornal Público

duty of response

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s