#1716

Veja-se a persistência, em Olhão, do traje feminino aqui chamado de bioco, uma capa negra com capuz, cobrindo quase totalmente a mulher, e que se usava noutros pontos do Algarve até ter sido proibida, em 1892, pelo Governador Civil de Faro, ordem que, claro, as mulheres de Olhão ignoraram, continuando até ao início do século XX a usar o bioco que as tornava tão semelhantes às argelinas e marroquinas do outro lado do mar – ‘impenetráveis’, nas palavras de Raul Brandão.

Alexandra Prado Coelho, fugas

duty of response

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s