#1889

Quando eu estava a crescer, a Rússia não era apenas fechada, e portanto misteriosa, mas apresentava-se como a nossa antítese: nós [noruegueses] éramos livres, os russos oprimidos; nós éramos bons, os russos maus. Quando comecei a ler, a situação ficou mais complicada, porque era da Rússia que vinha a melhor e mais intensa literatura. […] Que tipo de país era aquele onde as almas eram tão profundas e o espírito tão selvagem?

Karl Ove Knausgard, revista do semanário Expresso

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s