#2110

A Alma-Ata dos idos soviéticos vive no (e do) presente e se não se arma em futurista high-tech, como Astana, o que por ali se vive tem muito de labor hedonista. Os seus moradores articulam trabalho, geração de riqueza, estudam (é uma cidade universitária, com o seu elaborado teatro de livralhada e exames) e ainda arranjam tempo para artes, lazeres e copofonias — por (quase) toda a parte encontramos esplanadas, belos cafés e bares, menos estáticos ou revivalistas do que de franco timbre contemporâneo. E, por uma vez, uma manifestação de futurismo: o novíssimo Metro, para já com apenas uma linha, tem uma estação com uma atmosfera “espacial”. É a estação Baykonur, que evoca a famosa base soviética de lançamento de veículos aeroespaciais localizada no Sudoeste do país. Além das matérias arquitectónicas, os passageiros podem admirar continuamente numa projecção gigante, ao fundo da estação, filmagens do lançamento de foguetões.

Humberto Lopes, fugas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s